Tatuí, 30 de Abr de 2017
Tatui
+18...+30° C
  • Periquitos em Revista
  • Cláudio Aldecir - em 05/11/2016 08:13:54

    foto: Arquivo Cláudio Aldecir

    Esta foto da equipe de aspirantes do Palmeiras de 1964 foi obtida de uma antiga revista de variedades denominada “Periquitos em Revista”. Ela circulava naqueles tempos em São Paulo, capital.

    Elogiava e informava os feitos do clube. Entre eles, o famoso grupo de patinadores, o mais tradicional espetáculo de patinação artística sobre rodas. O grupo tinha o mesmo nome da revista, era formado por atletas do clube – atualmente, com mais de 60 anos de atividades – e muito conhecido pelas ótimas apresentações. Elas eram sempre aguardadas, uma tradição do Palmeiras.

    Comum na época, o Campeonato de Aspirantes era realizado sempre antes da partida principal. Era chamado pela crônica esportiva de “aperitivo” por entreter o público que chegava mais cedo aos estádios.

    Servia para revelar novos jogadores e também para colocar em atividade atletas que estavam voltando à sua melhor forma. Em muitas ocasiões, a tal partida preliminar se constituía mais importante que a principal, dependendo da colocação e objetivos das equipes.

    Na foto, algumas curiosidades. Podemos ver em pé: Sarlo; Carlos Alberto; Dorival; Candinho (tornou-se treinador e dirigiu vários clubes, inclusive com rápida passagem na seleção nacional); Vicente Arenari (era titular no time alviverde campeão paulista no ano anterior, 1963); e Ilton (tornou-se árbitro, Ilton José da Costa).

    Agachados, estão: Zé Carlos Mérola, Roque, Ademar Pantera (grande goleador), Ênio Chaves e Lourenço.

    Competitiva formação, lembrando que, neste ano de 1964, a equipe campeã da categoria foi o Corinthians, quando um canhoto irreverente, de dribles rápidos e chute potente, era a sensação. Muitos torcedores chegavam mais cedo para aplaudir este grande craque que nascia. Seu nome: Roberto Rivelino.

    Para a moçada mais jovem, uma informação: o Palmeiras tinha como símbolo, e era mais divulgado, o Periquito, a ave verde idêntica à cor da camisa. Muitas recordações, informações e histórias bonitas do futebol.

    NOTA: As fotos são do arquivo pessoal do autor, que data de 50 anos. Ele, como colecionador e historiador do futebol, mantém um acervo não somente de fotos, mas de figurinhas, álbuns, revistas, recortes e dados importantes e registros inéditos e curiosos do futebol, sem nenhuma relação como os sites que proliferam sobre o assunto na rede de computadores da atualidade