Tatuí, 29 de Jun de 2017
Tatui
+18...+30° C
  • Reformulação no Palmeiras
  • Cláudio Aldecir - em 12/03/2016 08:45:46

    foto: Arquivo Cláudio Aldecir

    Em 2015, acompanhamos a reformulação do elenco imposta pela direção do Palmeiras, tentando fazer esquecer as formações e desempenhos sofríveis dos anos recentes. Acontece que a história do clube mostra que essa atitude não é inédita.

    O ano de 1957 foi terrível. O time capengou o campeonato inteiro e acabou num vergonhoso penúltimo lugar, humilhante para as tradições do alviverde.

    A primeira atitude – como também foi feito recentemente: contrataram um novo treinador. Buscaram Oswaldo Brandão, um gaúcho de fibra que sempre montou times competitivos. Por exemplo, o Santos do começo dos anos 1950; a forte Portuguesa, campeã por duas vezes do torneio Rio-SP; e o Corinthians, campeão do IV Centenário de São Paulo, em 1954.

    No time verde, Brandão conservou apenas dois titulares: Valdemar Carabina e Nardo. Os outros vieram do Sul, do Nordeste e do Rio de Janeiro. Os dirigentes buscaram a sensação, o jogador Djalma Santos, na Portuguesa. Chegaram Chinesinho, Valdir de Moraes, Enio Andrade, Zequinha, Romeiro, Aldemar e Américo. Da Itália, repatriaram o excelente Julinho.

    Enfim, o treinador costurou uma verdadeira “colcha de retalhos”. Deu uma cara ao time e engrenou. Resultado: Palmeiras campeão paulista de 1959, na histórica e inesquecível melhor de três contra o Santos de Pelé e Jair Rosa Pinto.

    A foto é uma imagem que ficou muito conhecida dos meios jornalísticos e que sempre vinha estampada com os dizeres “Palmeiras o Super Campeão Paulista”. Podemos ver, em pé: Djalma Santos, Valdir, Valdemar Carabina, Aldemar, Zequinha e Geraldo Scotto. Agachados: roupeiro Romeu, Julinho, Nardo, Américo, Chinesinho e Romeiro.

    Mostra, portanto, que a história se repete. Eu já vi esse filme.

    NOTA: As fotos são do arquivo pessoal do autor, que data de 50 anos. Ele, como colecionador e historiador do futebol, mantém um acervo não somente de fotos, mas de figurinhas, álbuns, revistas, recortes e dados importantes e registros inéditos e curiosos do futebol, sem nenhuma relação como os sites que proliferam sobre o assunto na rede de computadores da atualidade